sexta-feira, 3 de julho de 2009

História do Município de Trombas

I- PRIMEIRAS FAMÍLIAS
Alguns homens a procura de terra fértil, em 1949, como os senhores Cândido de Castro Souza e seu irmão Santana Castro de Souza, com suas famílias, saíram do Estado do Maranhão. Na mesma época, pelo mesmo motivo, saiu de porangatu, Estado de Goiás, o Sr. Cassimiro Barbosa de Oliveira. Ambos isntalaram às margens de um ribeirãozinho. chegaram também outras famílias, maioria vindo do Nordeste. As famílias foram: Prfírio de Souza, Navarro, Marinho, Pereira da Costa, Ferreira dos Santos, Batista de Lima, Norberto Alves, Pereira do Lago, Guereiro, Ataídes de Carvalho, Gramacho, Martins da Cunha (Capistana e Maroto), Mendes Pereira (João Baiano), Pereira de Oliveira (Doricos), Marques da Silva (Geraldão), Ribeiro da Silva, Dourado, Martins de Moura, Bispo da Silva, Romeiro, Pereira Lacerda, Eugênio, Rocha Medrado, Alves de Assis, Aquino, Rodrigues da Silveira, Soares e outras.
II- CRIAÇÃO DO POVOADO
Nos meados de 1950 e 1951, o Sr. Cândido de Castro Souza deslocou-se para as margens de um outro córrego. Denominaram de Córrego das Trombas, porque é nascente entre dois morros que tem o formato de tromba de elefante. Logo depois o terreno foi loteado, então os senhores Manoel Maria Falcão, Paulo Rodrigues, Joaquim Gambira, Elias Canguçu, Domingo Bispo da Silva e Francisco Piauí construíram suas casas próximas a do senhor Cândido Castro de Souza, fazendo surgir o povoado de Trombas.
O povoado recebeu um outro nome alguns anos depois, Vila Dourada. Não oficial, sua origem foi devido o povoado ser apenas uma vila, e do mesmo, poder avistar a então Serra Dourada que faz divisa com o município de Minaçu, e também muitas pessoas tinham medo de dizer que era morador em Trombas. Mas na verdade, muitas pessoas não concordavam com este nome.
III- CONFLITO
Entre 1950 e 1954, houve um grande conflito pela terra fértil, tomando características de uma verdadeira guerra entre a polícia militar e os posseiros.
Fazendeiros passaram a obrigar os posseiros a pagarem arrendamentos das terras. Com o passar dos tempos tentaram obrigar os camponesesa assinarem documentos que legalizavam o pagamento do arrendamento e declarar a desistência das terras, dizendo que as mesmas pertenciam a um senhor chamado Euzébio Martins, morador de Campos Belos, Dona Júlia e Senhor Antonio Navarro. Os posseiros recusaram a assinar. Foi a partir desse fato que tudo começou.
Então José Porfírio de Souza, posseiro da região assumiu a liderança do movimento com objetivo de legalizar as terras, através das conquistas pelas vias legais, adquirir o título de posse (as escrituras) que era o "direito" que as leis brasileiras forneciam.
IV- FUNDAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO
Embora havendo grande desenvolvimento cultural em todas as áreas, havia também a briga interna, entre grileiros e posseiros armados, que não permitiam a entrada de desconhecidos e ameaçavam qualquer um que recusasse a se indentificar.
Os posseiros revoltados com tanto sofrimento, pressão, tensão e sem que o Poder Judiciário desse uma solução para o caso, desistiram da luta legal. Organizaram-se e fundaram a "Associação dos Trabalhaddores Rurais" para lutarem unidos pela posse das terras. Era legalmente registrada e não obrigava ninguém a participar. A constituição inicial foi a seguinte:
PRESIDENTE: José Porfírio de Souza
VICE-PRESIDENTE: Luiz Lacerda
1º SECRETÁRIO: José Ribeiro da Silva
2º SECRETÁRIO: Onéssimo Montesuma Oliveira
1º TESOUREIRO: Adail Gonçalves da Silva
2º TESOUREIRO: Otaviano José Gomes
MEMBROS: Geraldo Marques da Silva (Geraldão), João Soares, Agenor Ferreira, Bartolomeu Gomes da Silva (Bartur), Amado Guereiro, Felipe Cardoso, Armando Ribeiro, Pedro Paraná, Graciliano Porfírio de Souza, Raimundo marinho, João Francisco, Ozano Martins de Moura, Gilberto Batista de Lima, Bertoldo Ferreira dos Santos, Pedro Pernanbuco, Napoleão Tavares (Baiano), Nelson Marinho, Manoel Miranda e outros.
V- POSSE LEGALMENTE DAS TERRAS
Em 1962, os camponeses elegeram José Porfírio de Souza a Deputado Estadual, e este se tornou um homem muito conhecido politicamente. Mauro Borges, o Governador da época, tendo conhecimento dos acontecimentos no povoado de Trombas, mandou dois militares: Agripino e Silveira (que se hospedaram em Formoso), para tentarem convencer os posseiros a desistirem das terras, a abandoná-las, mas como não houve concordância, após alguns meses eles voltaram à Goiânia. Então Mauro Borges desapropriou as terras, comprando-as. E veio pessoalmente negociar com os posseiros, para que pudessem pagar o preço justo, tornando verdadeiros proprietários. Os escrivães foram: Divino Arruda e José do Carmo.
VI- GOLPE DE 1964 - E O POVOADO DE TROMBAS
Em 31 de março de 1964, houve um golpe das Forças Armadas Federais que atingiu todo o país, e este fez com que derrubasse o Presidente João Gulart e seus aliados. Como Trombas era um pequeno povoado, mas de grande movimento, muito problemático e seu defensor era um Deputado, o povoado foi invadido pelo Exército. Era um batalhão de 128 soldados comandados pelo Major Carlos e o Capitão Vaz. Veio com o intuito de prender José Porfírio e manter a ordem no povoado, temendo que o Estado de Goiás tivesse um regime comunista. Então José Porfírio foi obrigado a afastar-se da Assembléia e sendo perseguido pelo Exército fugiu juntamente com: IRMÃOS: Arão de Souza Gil, Manoel de Souza Castro, FILHOS: Manoel Porfírio de Souza, Dorvalino Porfírio de Souza, VEREADOR DE ANÁPOLIS: Geraldo Fibúrcio. Desceram de canoa pelas águas do Rio Tocantins até o Estado do Maranhão deixando suas famílias.
VII- DESCOBERTAS E PRISÕES
O filho de José Porfírio, o Sr. Dorvalino Porfírio de Souza, foi preso no Estado do Maranhão. Foi terrivelmente torturado, ao ponto de ficar doente mental, sendo interno no hospício Adauto Botelho, em Goiânia. Recebeu alta e veio até Trombas ainda meio louco, depois desapareceu.
O militarismo mandou dois tenentes disfarçados de engenheiros. Espiões chamados: José Estrela e Daniel, que ficaram mais ou menos um ano, obtendo informações, investigando sutilmente, sendo a fonte de informações das Forças Armadas. Logo veio o Exército e capiturou algumas pessoas que eles julgavam influentes e de organização subversiva: Aamado Guereiro, Gilberto Batista de Lima, Nelson Marinho, Felipe Cardoso, José de Castro, Manoel Piauí, Napoleão Tavares, Luiz Torres, José Leopoldo, Pedro Paraná e outros.
Em 1967, os fugitivos foram descobertos e José Porfírio de Souza, foi preso no povoado de Riachão, município de Angical, Estado do Maranhão, trouxeram-o para Trombas, muitas pessoas o viram algemado. Os policiais queriam que José Porfírio entregasse as armas, mas este negou qualquer conhecimento do esconderijo, indicando o Sr. Bartolomeu Gomes da Silva, o homem que sabia onde as mesmas estavam. Não foi preciso nem prende-lo, pois Bartur levou os policiais ao local, trazendo fuzis, carabinas em uma frota. Seguiram viagem para Goiânia levando José Porfírio para a prisão. José Porfírio foi solto, almoçou com sua advogad e dali saiu dizendo que ia ao banco retirar dinheiro, e desde então ninguém mais o viu.
VII- REPRESENTANTES POLÍTICOS E DISTRITAÇÃO
Trombas foi se acalmando e no ano de 1968 a 1980, alguns pessoas representaram politicamente a comunidade, candidataram e foram eleitos a VICE-PREFEITO: Raimundo Fonseca Lemos (Mundico), Pedro Alves de Aquino, Antonio Andrade Sobrinho (dois Pleitos), e a VEREADOR: José Cândido Alves (José Caetano), José Firminio Diniz (Macharé), Osvaldo de Souza (Vavá), Ozano Martins de Moura, Wilson Rocha Medrado, Etelvino Rodrigues de Carvalho (Fiim), Valdir Rodrigues de Carvalho.
Em 1975, Trombas destacou-se recebendo sua primeira vitória, a DISTRITAÇÃO, que aconteceu graças a influência do Prefeito de Formoso Felipe Cardoso e de Vereadores.
IX- EMANCIPAÇÃO
Mas Trombas como sempre foi martirizada, na época a Lei exigia mais de 3000 (três mil) eleitores para concretizar a emancipação, e também levantaram-se partes de lideranças politicas da oposição de Formoso que lutaram para que não fosse concretizada a tão sonhada emancipação. Foi então que o Prefeito, Dr. Ranulfo Batista de Alcântara, arregaçou as mangas e com pulso forte, juntamente com o povo trombense, usaram todos os meios e direitos cabíveis e conquistaram tão grande liberdade e seu nome original. Tronando-se livre TROMBAS, em 15 de novembro de 1987. Elevado à categoria de Município com a deniminação de Trombas, com área do extinto Distrito de Vila Dourada, pela Lei Estadual nº 10.436, de 09 de janeiro de 1988, desmembrando de Formoso. Sede no atual distrito de Trombas, constituído em 01 de janeiro de 1989.
X- 1ª ELEIÇÃO
Para orgulho do povo trombense em 1988, houve a primeira eleição, elegendo para Prefeito e primeira Dama, pelo PMDB:
PREFEITO: Epaminondas José Romeiro - Valdina Lourenço de Carvalho (Tezinha),
VICE-PREFEITO: Dercílio Batista de Souza (Branco) - Maria José Marques de Souza (Bilé),
VEREADORES: Antonio Andrade Sobrinho, Antonio Marques de Brito, Cleide Enaldo da Silva, Clemerson Lopes da Silva, Gislene Lúcia Montenegro, João Mariano da Silva, João Nunes do Vale, Milton Faria Silva e Wilson Rocha Medrado.
No dia 08 de março o Vereador Antonio Andrade Sobrinho renuciou por motivos particulares, assumindo o suplente Valdecir Santos da Silveira.
PRINCIPAIS OBRAS:
XI- 2ª ELEIÇÃO
No dia 03 de outubro de 1992, houve a segunda eleição, sendo eleito pelo PMDB:
PREFEITO: Dercílio Batista de Souza - Maria José Marques de Souza,
VICE-PREFEITO: Delvinio Joaquim Pereira - Amélia Augusta Pereira,
VEREADORES: Antonio Pereira da Costa, Cleide Enaldo da Silva, Gislene Lúcia Montenegro, Joaquim Gramacho da Silva, Joel Sabino de Oliveira, Luiz Carlos Rosa Ferreira, Osvaldo Elias Vieira, Valdeci Santos da Silveira, Wedson Santana Parente.
PRINCIPAIS OBRAS: Escola Municipal Luiz Batista, Praça Santo Antonio, Lavanderia, Centro Administrativo, prédio da Prefeitura e Câmara Municipal, Feira Coberta.
XII- 3ª ELEIÇÃO
No dia 03 de outubro de 1996, houve a terceira eleição, sendo eleito pelo PMDB:
PREFEITO: Osvaldo Elias Vieira - Valdete Pereira Elias,
VICE-PREFEITO: Ailton Rocha - Leonor Rocha Araújo,
VEREADORES: Amélia Augusta Pereira, Charles Udson Diniz, Gislene Lúcia Montenegro, Joel Sabino de Oliveira, Luiz Carlos Rosa Ferreira, Marlene Peres de Oliveira, Odair Eugênio Rosa, Valdecir Santos da Silveira e Wedson Santana Parente.
PRINCIPAIS OBRAS:
XIII- 4ª ELEIÇÃO
No dia 01 de outubro de 2000, houve a quarta eleição, sendo eleito pelo PMDB:
PREFEITO: Dercílio Batista de Souza (REELEITO) - Maria José Marques de Souza
VICE-PREFEITO: Antônio Pereira Costa - Ednilce
VEREADORES: Amélia Augusta Pereira, Antônio Macedo de Magalhães, Gislene Lúcia Montenegro, Jadir José da Silva, Joaquim Teixeira de Souza, Joel Sabino de Oliveira, Valdecir Santos da Silveira, Valter Fernando Teixeira Leite e Wedson Santana Parente.
PRINCIPAIS OBRAS:
XIV- 5ª ELEIÇÃO
No dia 03 de outubro de 2004, houve a quinta eleição, sendo eleito pelo PL:
PREFEITO: Elson Carlos da Silva - Edilma...
VICE-PREFEITO: Rosalvo José Romeiro - Carmélia...
VEREADORES: Amélia Augusta Pereira, Celia de Souza Soares, Delvair Ramos Marinho, Gislene Lúcia Montenegro, Jadir José da Silva, Joel Sabino de Oliveira, Keilla Tavares de Aquino, Lucas Teixeira Filho e Wedson Santana Parente.
PRINCIPAIS OBRAS:
XV- 6ª ELEIÇÃO
No dia 05 de outubro de 2008, houve a sexta eleição, sendo eleito pelo PT:
PREFEITO: Catarino José da Silva - Soraia
VICE-PREFEITO: Ronoel Dourado Júnior - Jucélia
VEREADORES: Agostinho da Nóbrega Rodrigues, Antônio Macêdo de Magalhães, Charles Udson Diniz, Delvair Ramos Marinho, Edilso Souza Dias, Frnacisco Chagas Martins da Cunha, Joel Sabino de Oliveira, Keilla Tavares de Aquino e Wilson Rocha Medrado.
PRINCIPAIS OBRAS:
XVI - TRADIÇÕES
ANIVERSÁRIO DA CIDADE: No dia 22 de maio, todos os anos comemora-se o aniversário de Trombas, inicialmente com jogos, apresentações, desfiles e gincanas. A partir de 1989, foi criado na administração do então prefeito Epaminondas José Romeiro, o tradicional RODEIO que também fazia parte das festividades de aniversário da cidade, em 2007 na administração do prefeito Elson Carlos da Silva, o tradicional rodeio deixou de fazer parte das festividades de aniversário, tendo sua data de realização transferida para o mês de julho, possibilitando assim a maior participação de parentes e amigos dos trombenses, pois julho sendo um mês de férias escolares, os visitantes podem programar a vinda nos festejos do rodeio com toda família. Foi inserido nas festividades, shows e o tradicional bolo de aniversário com 01 (um) metro de bolo para cada ano.
RODEIO: Criado oficialmente em 1989, pelo então prefeito Epaminondas José Romeiro, concretizando assim a realização de um sonho de Cleide Enaldo da Silva e seus muitos companheiros que por várias vezes fizeram adaptações em sua propriedade, e alí na Fazenda Pimenta, teve início ao Rodeio de Trombas. E dalí sairam vários peões de rodeio, que da "escola de rodeio" da Fazenda Pimenta, fizeram história, e a fama dos peões de Trombas é respeitada nos municípios de Goiás e em vários Estados do Brasil, que por onde passam se orgulham de dizer que são Trombenses. São eles: Agamenon de Paiva Eugênio, Rubens Ferreira de Oliveira (Mané Coxa), José Maria Onório (Parafuso), Amauri da Cruz (Barra Mansa), Delvair Ramos Marinho (Prego), Edinho Alves, Raul Aquino ...
FESTAS JUNINAS: Inicialmente foi realizada a tradicional festa junina da Paróquia Santo Antônio de Padua, o padroeiro de Trombas. Hoje são realizadas em junho, várias festas juninas promovidas pelas escolas Municipais e Estaduais e também por alguns órgaõs do municpio.

9 comentários:

  1. uma hitoria de muita luta,sofrimento,mas com vitoria,o que aconteceu com a familia do po rfirio.

    ResponderExcluir
  2. eu sou sobrinho do branco uma pessoa que foi muito importante para essa cidade.

    ResponderExcluir
  3. eu sou marinalva de souza oliveira ,moro em minaçu goias e sou FILHA DE MANOEL DE CASTRO QUE E IRMAO DE JOSE PORFIRIO DE SOUZA uma pessoa que foi muito importante naquela epoca.

    ResponderExcluir
  4. SOU NETO DE GERALDO MARQUES DA SILVA (GERALDÃO)UM DOS FUNDADORES DA CIDADE DE TROMBAS E MUITO IMPORTANTE PARA O MOVIMENTO NA EPOCA. MORO HJ NA CIDADE DE CUIABA MT.
    GOSTARIA DE RECEBER MAIS INFORMAÇÃO DA EPOCA QUEM TIVER MIM NANDE: TEODORO.VERAS@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir
  5. SOU NETO DE GERALDO MARQUES DA SILVA (GERALDÃO)UM DOS FUNDADORES DA CIDADE DE TROMBAS E MUITO IMPORTANTE PARA O MOVIMENTO NA EPOCA. MORO HJ NA CIDADE DE CUIABA MT.
    GOSTARIA DE RECEBER MAIS INFORMAÇÃO DA EPOCA QUEM TIVER MIM NANDE: TEODORO.VERAS@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir
  6. humberto mascarello22/02/11 09:57

    Em 16 de fevereiro de 2011 15:32, Lívia Gonçalves de Oliveira escreveu:
    - Ocultar texto das mensagens anteriores -


    Boa tarde Dr. Humberto Mascarello.

    Em atendimento à solicitação feita ao Sr. Eliomar em relação a DIRF relacionada à Prefeitura de Trombas (2007), devo informar-lhe que não se encontra mais em nossos arquivos esses documentos e nem em nosso banco de dados informações antigas, além do que à época encaminhávamo-os à Prefeitura Municipal para que, se as pessoas precisassem, fosse lá solicitado. Portanto, deve-se procurar a Prefeitura Municipal ou a Receita Federal
    Sem mais para o momento.

    Att.



    Lívia Gonçalves de Oliveira Santos
    Contec Assessoria Contábil

    Gostaria de receber um e-mail para contato com o sr. prefeito catarino,já que nao encontrei na Internet.
    Grato
    Dr. Humberto mascarello
    22/02/2011 - Mambai - Goias

    ResponderExcluir
  7. meu nome e olindo rosa pereira filho de joao mendes pereira(JOAO BANHANO)eu cheguei na decada de 50.

    ResponderExcluir
  8. As famílias Martins da Cunha e a Gonçalves dos Reis, não citados, já moravam na região deste meados do século XIX.

    ResponderExcluir
  9. Anonimo; falta muita coisa e esta meio fantasiosa, vamos esquecer a politicagem e contatar a verdadeira historia de Trombas, tem muita gente que conhece a historia, tem família que chegou bem antes de algumas citadas. moro em São Paulo.

    ResponderExcluir